Padd Solutions

Converted by Falcon Hive

Assassino de aluguel

segunda-feira, abril 05, 2010 , , , 14 comentários

Eu tenho uma dificuldade absurda em desistir. Nunca fui uma boa perdedora.

Fico pensando incessantemente em onde foi que eu errei. Ouvi que eu não tinha errado em nada mas eu discordo, consigo pensar em várias coisas. A maioria relacionada a não saber cultivar o amor. A deixar que nós duas nos acostumássemos muito, nos acomodássemos muito. Eu deveria ter cultivado melhor o negócio absolutamente ESPECIAL que tínhamos em vez de ter deixado que tudo se tornasse banal.

Das maiores às menores coisas. Tudo tem sido lembrado.
Eu deveria ter confessado antes que na verdade eu amava quando ela me chamava de "nenem". Algum amigo que eu não lembro falou que era brega e mimimi e eu fiquei com vergonha de admitir que achava lindo. Ela nunca mais me chamou assim mas o cartão que ela escondeu na minha carteira em uma das primeiras vezes que eu viajei durante o nosso namoro onde se lê "Oi Nenem ^^ Saudade! Beijos, Namorada xD" ainda está aqui na carteira. Foi a única coisa que eu ainda não consegui guardar na caixinha das coisas do namoro. Adotamos o "Xuxu" (alguns aí devem pensar que é tão brega quanto ou pior do que Nenem, não dou a mínima) mas me arrependo imensamente por nunca termos nos chamado de Amor com mais naturalidade. Por que diabos eu tive tanta vergonha de admitir mais vezes que é isso que ela é? Meu amor.

Nessa Páscoa eu só consegui pensar em como Páscoa feliz mesmo foi aquela em que eu viajei para a casa da vovó e ela ficou com a chave do apartamento para cuidar do gato como sempre fazia. Quando eu cheguei de viagem encontrei um chocolate, uma rosa e um cartão de feliz páscoa em cima da minha cama. Me tirou o fôlego e ainda tira. Me pergunto quando foi que eu deixei de tirar o fôlego dela, ou se já cheguei a tirar.

É muito difícil aceitar que todo o amor que eu sinto vai ter que ser afogado. Me parece um desperdício sem igual.

E eu não consigo fazer sozinha, nem consigo lidar com assassinos de aluguel.

(14) Comments

  1. A. On 5 de abril de 2010 14:32

    Amor, então,
    também, acaba?
    Não, que eu saiba.
    O que eu sei
    é que se transforma
    numa matéria-prima
    que a vida se encarrega
    de transformar em raiva.
    Ou em rima.

    Paulo Leminski

     
    Bri On 5 de abril de 2010 19:50

    Muito lindo esse texto, aposto que muita gente tbm se identificou. Mas só tenta afogar o amor, depois que tiver certeza que já deu tudo o que podia pra trazer ele de volta.

     
    Afrodite On 5 de abril de 2010 23:01

    Querida tenha fé, pois não acho que isso seja um fim definitivo, creio que possa ser um tempo, pois nós que acompanhamos aqui ja vimos tantas historias de vcs lindas, creio que isso não foi em vão, e outra não de atenção ao que falam do que seu amor te chama, pois é a vc que chaman e mais ninguem isso é carinho e atire a primeira pedra quem nunca teve ou deu um apelidinho carinhoso para o ser amado. Vou torce por vc para que isso seja só uma fase e que ela possa ser superada e vaoltaremos ver vc feliz.

    Bjs da Afro

     
    Anônimo On 6 de abril de 2010 00:11

    Conhecendo algum assassino de aluguel, aprendendo a lidar com eles, por favor, passe o contato, ok.

    Você tinha que dizer tudo isso e disse de maneira muito bonita. Continuo na sua torcida.
    bjos, Lu

     
    hitwoman On 6 de abril de 2010 15:57

    Então, alguém precisando dos meus serviços ?
    hahahaha

    olha, acredito muito no lado positivista de tudo, por pior que pareça; nem todo fim é necessariamente um fim, pode ser um novo começo.
    permita-se !

    mas se nada funcionar, já sabe, logo logo 'a minha bodega' vai estar a mil, e lá a luz é boa !
    ihhihi

    fica bem !
    =**

     
    Alice On 8 de abril de 2010 15:02

    Não seja tão dura consigo mesma nesse momento. O fim de um relacionamento já dói o bastante para você ficar se culpando...

     
    Anônimo On 8 de abril de 2010 17:20

    oi mocinha, sei o que vc esta passando, e estou nessa a qse 2 meses, é triste o fim de namoro... mas temos que olhar pra frente, e tentar ser feliz... um abraço forte, bjos meri =)

     
    bolacharecheada On 10 de abril de 2010 21:08

    Gata, fala comigo! Eu sei bem o que estragar uma relação.
    Te pergunto: faz mais de 2 anos isso? Se não faz, ainda está tudo lá, bem vivo, no prazo de validade. Mas se vc quiser voltar, é preciso causar, sem dar tempo ao tempo.
    Vc pode fazer bem mais que um lindo post.
    Beijo enorme.

     
    Anônimo On 10 de abril de 2010 21:20

    Na sua historia eu vejo a minha... e sinceramente não há nada que ninguem diga que vai fazer você se sentir melhor. Há algum tempo eu leio o seu blog, porém não lembro de ter feito um comentário, alguma vez, mais sinto-me na obrigação, porque é muito duro o que você está sentindo agora, acredite, sei o que estou dizendo. A unica coisa que posso te dizer é que apesar de parecer o contrário, isso vai passar, com o tempo, então não se culpe :)... Boa Sorte

     
    Assassino de Aluguel On 10 de abril de 2010 22:57

    No momento, não posso atendê-la, pois estou lá no Bolacha Recheda, tentando afogar a Mallika por não ter dado um mísero telefonema na hora certa, por não ter dado o beijo que a outra pediu na despedida.
    Depois eu volto pra te atender.

     
    Saindo do Armário On 13 de abril de 2010 00:55

    Calma, as coisas vão entrar nos eixos...Eu ouvi uma vez que o vento espalha e o tempo reúne!!!

    Nunca é tarde tbm pra vc lutar por ela...
    bjs

     
    J.e.L On 16 de abril de 2010 12:54

    A gente sempre tenta encontrar alguma coisa que poderíamos ter mudado.
    É só pensar: será que realmente o que vc deixou de fazer teria mudado alguma coisa se fosse feito?
    Não se culpe.

    Saudade de te ver mais animada por aqui.

    :*
    Ju

     
    Anônimo On 6 de outubro de 2011 01:41

    entre em comtato q eu faço o serviço

     
    Anônimo On 6 de outubro de 2011 01:47

    945426297a . @hotmail.com decifre e conseguira entrar em contato se quiser que o serviço seja feito ele sera mas não me responsabilisarei pelas concequencias.
    obrigado. anônimo